Foto Reprodução – SC Hoje News

Recentemente, o programa Bolsa Família vem passando por mudanças que visam melhorar o cadastro e o mantimento de famílias no programa. O intuito é garantir que apenas aqueles que realmente têm direito de receber o benefício continuem cadastrados no programa.


Afinal, infelizmente existem muitas pessoas mal intencionadas que têm feito cadastros com informações errôneas e omitindo dados importantes, apenas para continuar recebendo o benefício.

Um exemplo disso são as famílias unipessoais que, na prática, não deveriam ter sido cadastradas dessa forma. Essas famílias, para serem consideradas unipessoais, precisam ser formadas por apenas uma pessoa morando na casa. Se há mais pessoas que moram com ela, não se trata de uma família unipessoal.

Porém, muitos indivíduos têm usado o cadastro de família unipessoal de forma mal intencionada, fazendo com que mais pessoas da mesma família façam esse cadastro apenas para receber mais parcelas do Bolsa Família por mês.

Acontece que essa prática é irregular e proibida e, por isso, essas pessoas acabam sendo excluídas do programa, à medida que pentes-fino vão sendo feitos.

Em paralelo a isso, o Governo tem buscado mais alternativas para combater a fraude dos cadastros unipessoais, e é nesse cenário que surge um novo limite de cadastro no Bolsa Família.

Agora, apenas 16% das famílias de cada cidade poderão ser cadastradas no modelo de família unipessoal. Quando o município atingir esse limite e novos cidadãos procurarem por esse tipo de cadastro, será necessário fazer um pente-fino em todos que já existem, a fim de averiguar se estão todos realmente corretos.

Os que não estiverem, serão excluídos do programa e o novo beneficiário unipessoal será incluído.

Quase um milhão de cadastros já foram cancelados este ano
Ao longo dos últimos meses, os pentes-fino que vêm acontecendo nesse sentido já provocaram quase um milhão de cadastros cancelados por conta de terem sido feitos como famílias de uma pessoa só, quando, na verdade, havia mais membros na família.

O processo de cancelamento pode ser difícil, mas a ideia é que até dezembro deste ano todos os cadastros irregulares sejam excluídos do programa.

Assim, será possível incluir novas pessoas que realmente estão precisando do benefício, mas que hoje aguardam na fila de espera.

Desse modo, por mais que um novo limite de cadastro no Bolsa Família tenha assustado as pessoas, na prática, essa medida visa proteger aqueles que realmente necessitam desse benefício social, a fim de combater fraudes e cadastros que tentam “se aproveitar” da situação.