Foto Reprodução – UOL Economia
O pagamento do Bolsa Família de setembro inicia na segunda-feira (18, daqui a duas semanas) e vai até o dia 29 do mês. Durante o período, todos os beneficiários receberão o valor mínimo de R$ 600, com possibilidade de acréscimos.


Para garantir o benefício, as famílias contempladas deverão receber uma carta por e-mail confirmando a entrada no programa e fornecendo orientações sobre a movimentação do valor.

Além da carta, outras formas para verificar a aprovação são através dos aplicativos do Bolsa Família ou Caixa Tem (disponíveis para sistema Android e iOS). Outra forma de verificação é entrando em contato com a Caixa Econômica Federal pelo telefone de número 111.

O valor médio dos pagamentos do mês de setembro e o número de famílias contempladas ainda não foi divulgado pela Caixa. O valor mínimo do Bolsa Família é de R$ 600 por grupo.

Os depósitos são feitos em dias úteis, pela Caixa Econômica Federal, seguindo a ordem do NIS de cada beneficiário.

Datas de pagamento do Bolsa Família em setembro
O pagamento acontece de acordo com o dígito do Número de Identificação Social (NIS). Assim, a ordem dos pagamentos para o mês de setembro ficou fixado dessa forma:

NIS final 1: 18 de setembro (segunda-feira);
NIS final 2: 19 de setembro (terça-feira);
NIS final 3: 20 de setembro (quarta-feira);
NIS final 4: 21 de setembro (quinta-feira);
NIS final 5: 22 de setembro (sexta-feira);
NIS final 6: 25 de setembro (segunda-feira);
NIS final 7: 26 de setembro (terça-feira);
NIS final 8: 27 de setembro (quarta-feira);
NIS final 9: 28 de setembro (quinta-feira);
NIS final 0: 29 de setembro (sexta-feira);

Conheça os acréscimos do benefício
O valor base do Bolsa Família é calculado a partir do Benefício de Renda de Cidadania (BRC), que estabelece que cada membro da família equivale a R$ 142.

Sendo R$ 600 o valor mínimo a ser pago, se a soma dos benefícios em um grupo não atingir R$ 600, a família receberá o Benefício Complementar (BCO). O valor equivale a um adicional para garantir o mínimo de R$ 600.

Além disso, outros três acréscimos ao Bolsa Família são:

Benefício Primeira Infância (BPI): acréscimo de R$ 150 por criança com idade entre zero e sete anos;
Benefício Variável Familiar (BVF): acréscimo de R$ 50 para gestantes e crianças e adolescentes com idade entre 7 e 18 anos;
Benefício Variável Familiar Nutriz (BVN): acréscimo de R$ 50 para cada membro da família com até sete meses (nutriz).
Para estar apto a receber o Bolsa Família, as famílias devem cumprir alguns requisitos atrelados à saúde e a educação, como:

Frequência escolar de crianças e adolescentes entre quatro e 17 anos;
Acompanhamento pré-natal para gestantes;
Acompanhamento nutricional (peso e altura) de crianças até sete anos;
Aderência ao calendário nacional de vacinação.